A partir da contextualização básica, iniciamos a parte de entendimento dos elementos construtivos, ou seja, os elementos que de fato são a parte de execução:

PAREDES: Geralmente as paredes internas são representadas com espessura de 15 cm, mesmo que na realidade a parede tenha 14 cm ou até menos. Nas paredes externas o uso de paredes de 20 cm de espessura é o recomendado, mas não obrigatório. No entanto é obrigatório o uso de paredes de 20cm de espessura quando se situa entre dois vizinhos (de apartamento, salas comerciais...). Convenciona-se para paredes altas (que vão do piso ao teto) traço grosso contínuo, e para paredes a meia altura, com traço médio contínuo, indicando a altura correspondente.

PORTAS: Geralmente a comunicação entre dois ambientes está no mesmo nível, ou ainda, possuem a mesma cota. Mas no caso de ambientes externos isso muda e deve estar presente graficamente no desenho de representação do projeto.

Portas de Abrir

Portas de Correr

Portas Sanfonadas ou Pantográficas

Portas Basculantes

Porta Vai e Vem

Porta Pivotante

JANELAS: O plano horizontal da planta corta as janelas com altura do peitoril até 1.50m, sendo estas representadas conforme a figura abaixo, sempre tendo como a primeira dimensão a largura da janela pela sua altura e peitoril correspondente. Para janelas em que o plano horizontal não o corta, a representação é feita com linhas invisíveis.

Pronto! Agora você já sabe os elementos básicos para começar a interpretar um projeto! Legal não é mesmo? Se você gostou se inscreva no nosso blog e receba materiais todos os dias da semana!

Comentários: